O exercício do amor

11 junho, 2015



Amanhã é o dia dos  apaixonados, dos recentes enamorados, dos amores maduros, dos amores perdidos, dos futuros amantes e também aqueles que ainda hão de sentir o vibrar do próprio coração. 
Portar um amor nos dias de hoje é coisa rara, pois o quão é difícil manter uma amor bonito, cuidado, resguardai de imposturas destrutivas.
Ter um sentimento tão nobre dentro de si, é poder sentir algo inédito e inexplicável, que faz com que sejamos capaz de ver coisas no outro que nos faz tão bem.
É como se dentro desse outro estivesse embutido o todo necessário para aquele instante , para aquele momento único de ser feliz. Amar é isso: é coisa simples e complexa.
É temer muito e querer sempre mais.
É um ousar e recuar constantes.
É saber ponderar. 

É preciso medir na dose certa para não macular o amor, evitando gastos desnecessários na balança dos desgastes. Manter um amor saudável é saber pensar com inteligência e engolir seco quando necessário. É ser portador da prudência, da paciência. É ser o interlocutor do tempo, do tempo da relação, do tempo a dois, do silêncio.
Amar é querer o outro sempre e apesar de... porque venhamos e convenhamos, de ser imperfeito ninguém escapa não ser. Para o "bem amar" tem-se que saber menos  matemática, pois às vezes o dividir não  se enquadra onde o doar tem que imperar. É preciso saber respeitar, e como...

Respeitar o outro na íntegra. Respeitar o tempo do outro, a vida própria do outro, os interesses do outro, o OUTRO.

É preciso camaradagem e poesia acima de tudo pois amar sem cumplicidade, sem saber rir é trágico. O bom humor tem que existir, e o brincar deve tornar-se imprescindível.

1 comentários:

 

Psicanálise e tudo mais © Copyright - 2012. Todos os direitos reservados. Layout criado por Gabi Layouts